Dai-nos, Senhor, a sabedoria do coração

LITURGIA – 23º DOMINGO COMUM.
08.09.2013.
“Dai-nos, Senhor, a sabedoria do coração”
1.Introdução.
A Bíblia nos recorda que a vida humana é como a erva: verdejante pela manhã, mas já seca pela tarde! A vida é breve e que sentido faz viver tão brevemente? Todo aquele que não possui a sabedoria afirma: “Comamos e bebamos porque amanhã morreremos”(Is 22,13).
O salmista, porém, reza: “Ensinai-nos a contar os nossos dias, para que venhamos a ter um coração sábio” (Sl 89). No entanto, a sabedoria do salmista era mais resignação que alegria, pois, sem a certeza da vida eterna não existe verdadeira alegria para o coração humano.
A sabedoria é questão de escolha: crer, meditar e agir à luz da Palavbra de Deus. Somente a Palavra de Deus é fonte verdadeira de alegria e de sabedoria! Para os antigos significava meditar os preceitos da Lei; mas, para nós, hoje, é meditar no Evangelho de Jesus.

Palavra de Deus.
Sb 9,13-19 – O ser humano não entende direito nem os segredos da natureza, como poderá pretender o conhecimento das verdades espirituais? Deus gravou sua Palavra no coração de cada um, mas em Jesus a Palavra de Deus se fez carne, falou em nossa própria lingual. Somos instruidos por meio da Sabedoria divina.
Fm 9b-17 – Paulo converte um escravo fugitive e o devolve ao patrão recomendando-lhe de acolhê-lo como irmão (gerado por Paulo na prisão). Somente a Sabedoria divina nos diz que mesmo o escravo fugitivo é nosso irmão!
Lc 14,25-33 – Em sua viagem na direção de Jerusalém, Jesus apresenta as condições necessárias para ser seu discípulo. Ser discípulo de Jesus implica fazer uma escolha pessoal e decisiva por Jesus, na vida diãria. A escolha não é opcional. É inevitável e decisiva! E a vida é breve; não podemos perder tempo!

3-Reflexão.
• O ser humano pode vangloriar-se de sua inteligência, mas não pode esquecer sua limitação espiritual. Quem pode pretender entender os caminhos de Deus e a inteligência do criador do universo? Todos nós precisamos escutar o próprio coração e meditar a Palavra de Deus para descobrir o sentido da vida e, principalmente, para fazer uma escolha existencial sábia.
• Os antigos eram ensinados pelos preceitos da Lei de Moisés; mas, nós somos ensinados pela sabedoria da Palavra revelada, da Palavra que se fez carne e habitou entre nós! Na vida, nas atividades e nos ensinamentos de Jesus encontramos o espelho revelador do sentido da vida humana. Jesus é a sabedoria divina revelada à criatura humana!
• Jesus, em seus últimos dias sobre a terra, revelou as condições do discipulado cristão. Primeiro, precisamos fazer nossa escolha rapidamente, pois, a vida é muito breve! Jesus deve ser o foco central de nossa existência. Ele deve estar acima de nossas escolhas afetivas; por Ele não podemos refugar o sofrimento e por Ele refletimos bem sobre as condições de constância e de fiddelidade. Jesus está a caminho de Jerusalém onde irá enfrentar seus maiores inimigos e a morte na cruz. Ele não brinca com o amor e a fidelidade ao Pai. Assim devem ser seus discípulos.
• Num mundo egoista e egocentrico, onde o homem é importante, mas Deus é secundário, é muito oportuno o ensinamento de Jesus, proposto à nossa meditação.

“Quem não carrega a sua cruz e não vem após Mim,
não pode ser meu discípulo”.
Frei Carlos Zagonel