A vida dos justos está nas mãos de Deus, e nenhum tormento os atingirá!

LITURGIA – FIÉIS DEFUNDOS.

02.11.2013.

1.Introdução.

    Celebrar a memória de todos os fiéis defuntos é oportunidade para reavivar a fé no poder de Jesus que venceu a morte e nos garantiu uma vida eterna feliz. A morte não é a tirana invencível! Ela foi vencida por Jesus e, por isso – hoje – celebramos a esperança da vida invencível!

     O cemitério não é o campo de todas as esperanças frustradas! É, sim, o momento de recordar que somos pó e para o pó haveremos de tornar; mas, ao mesmo tempo, é o momento de reavivar nossa esperança na Palavra de quem venceu a morte e nos prometeu a vida eterna, gloriosa e feliz!

“Dia dos Finados” não deveria ser o “Dia de levar flores para o cemitério”: elas secam logo! É “dia de regar a flor da esperança”, reavivar a nossa fé em Jesus Cristo morto e ressuscitado e garantia de nossa ressurreição: a vida não acaba no cemitério, como o grão de trigo não acaba na terra! Ele morre para germinar/iniciar uma  vida útil para o ser humano!

 

2. Palavra de Deus.

    Sb. 3,1-9 – O Povo de Deus, vivendo no   mundo grego, perdeu a fé no poder de Deus. A vida não é uma fatalidade invencível e nem acaba na terra! Os justos estão nas mãos de Deus e terão uma vida imortal! A morte não é  invencível. A morte é superada pela vida!

AP 21,1-7 – A morte não é a descida para as trevas, mas a subida para a luz da “Cidade de Deus”. A morte é a porta que se abre para a “Cidade de Deus”. Ele faz novas todas as coisas!” A nossa sede, que nada sacia, será aliviada na fonte da água viva!

MT 5,11-12ª – As bem-aventuranças proclamadas por Jesus terão sua plenitude na “Cidade Nova, descida do céu morada de Deus entre os homens”. A vida do cristão é comparada à sede da corça que vai à procura de uma fonte de água viva, nascida na rocha da montanha! Como é bom beber água de fonte cristalina!

 

3. Reflexão.

  • Morrer é inevitável! Morrem os ricos e morrem os pobres; morre o justo e morre o pecador! Está escrito: Todos morrem e todos voltam ao pó donde foram tirados: “Tu és pó e em pó te hás de tornar! ; mas a Palavra de Deus garante-nos que “os justos estão nas mãos de Deus e nenhum tormento os atingirá!” A vida longa é uma bênção, e a morte é  uma fatalidade invencível, segundo os pagãos antigos e modernos!
  • Mas, a “fatalidade invencível” dos gregos foi vencida por Jesus Cristo, morto e ressuscitado! Em Cristo, a vida continua e os justos estarão, de fato, em paz e sem tormentos! O sofrimento é passageiro – é fogo que purifica – e no dia do Julgamento, os justos brilharão como ouro purificado pelo fogo! Fogo passageiro, brilho eterno!
  • A celebração de todos os fiéis defuntos não é dia de levar flores ao cemitério ou de acender velas junto ao túmulo dos falecidos! Segundo Santo Agostinho, as flores consolam os vivos, mas não aliviam os falecidos! Com certeza, agrada mais aos nossos entes,  já falecidos, a oração que acerta nosso caminho sobre a terra, caminho para chegar seguros ao novo céu e à nova terra, à cidade santa que Deus purificou afastando dela  a morte e a injustiça.
  • “Alegrai-vos e exultai porque será grande a recompensa nos céus”! Não é dia de pensar na morte, mas na vida que Deus prometeu àqueles que o amam, vida divina já aqui sobre a terra.

“A morte não existirá mais, nem luto, nem dor ou lágrima!”

Frei Carlos Zagonel